quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

No norte do Paraná, a história de uma cidade octogenária

No dia 15 de fevereiro de 1938 o Paraná ganhava um novo município: Cornélio Procópio. Prestes a completar 80 anos, a cidade que se desenvolveu às margens do km 125 da Ferrovia, e que leva o nome de um importante Coronel, ainda tem muita histórias e caminhos a trilhar.
Os apitos de trem, o pioneiro, a lavoura e o crescimento da cidade não estão registrados apenas no hino do município. Cornélio Procópio é uma cidade que ajuda a recontar a história do Paraná. 
Uma história escrita em trilhos de ferro
A chegada dos trilhos de ferro está intimamente ligada com a colonização, o surgimento e o desenvolvimento da cidade de Cornélio Procópio. Isso porque a ferrovia, inaugurada em dezembro de 1930, trouxe consigo aventureiros e trabalhadores ingleses e portugueses, além dos pioneiros paulistas e mineiros. O caminho percorrido pela Maria Fumaça entre Bandeirantes, Santa Mariana, Cambará e a futura Cornélio Procópio levava os sonhos desses desbravadores e consolidava o desenvolvimento da região.
A origem do nome da cidade veio do Coronel Cornélio Procópio de Araújo Carvalho, que ocupava posição de destaque no Império durante o final do século XIX. Uma de suas filhas, Maria Balbina Procópio Junqueira, era casada com Francisco da Cunha Junqueira. Francisco Junqueira quis homenagear o sogro e cedeu seu nome para ser o patrono da Estação Ferroviária km 125. Tempos depois, a criação do Município de Cornélio Procópio se concretizou, com a emancipação do município no dia 15 de fevereiro de 1938. Com o desenvolvimento da cidade no entorno da Estação, foi natural que o município também levasse o nome - e história - de seu patrono. 
Nos cantos da cidade, boas histórias de ser ver e ouvir
É possível voltar no tempo e reviver a história de Cornélio Procópio em vários pontos da cidade. Um desses “cantos” é a Catedral Cristo Rei, que foi finalizada em maio 1948. Com arquitetura em estilo românico, seu projeto foi elaborado em forma de cruz romana, com uma nave central e duas naves laterais. Um dos objetos de destaque é o Ostensório, todo banhado a ouro e trazido da Alemanha. 
No centro da cidade está o cartão postal procopense e também a maior estátua sacra de bronze da América Latina. Com uma vista panorâmica da região, a estátua do Cristo Rei tem quase 24 metros de altura e está rodeada de jardins, bancos, parque infantil, lanchonetes e até pista de skate.
A população de mais de 46 mil habitantes também pode aproveitar o lazer em oito ginásios poliesportivos, duas bibliotecas públicas, quatro teatros/casas de espetáculos e dois museus.
Um deles é o Museu Histórico de Cornélio Procópio, inaugurado em junho de 2000, e que está instalado no edifício Casa de Cultura Nair Mariucci Azzolini. Com um valioso acervo, guarda objetos, instrumentos, móveis e roupas que pertenceram aos pioneiros fundadores de Cornélio Procópio. Nele também está uma réplica de em tamanho natural do primeiro estabelecimento comercial, além de cenários, maquetes e painéis fotográficos que mostram a transformação da cidade. Uma verdadeira viagem no tempo para o visitante.  

FONTE: G1 Paraná
FOTOS: ASSESSORIA PREFEITURA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta matéria???

As Mais Clicadas do Mês!

As Mais Recentes!

Destaque!

Subir