sábado, 30 de setembro de 2017

Profissionais e usuários do SUS debatem ações de vigilância


A Secretaria de Saúde e Conselho Estadual de Saúde reuniram usuários do SUS, trabalhadores, gestores e prestadores de serviços da área para discutir assuntos relacionados à proteção e à promoção da saúde da população. A Conferência Estadual de Vigilância em Saúde do Paraná aconteceu nesta sexta-feira (29), em Curitiba, e contou com a participação de mais de 400 representantes.
Esta é a primeira Conferência de Vigilância em Saúde no Paraná. “Estou muito feliz de poder presenciar a realização inédita de um evento tão importante para a saúde pública paranaense. Nosso objetivo é deixar que os interesses da população usuária do SUS prevaleçam sempre, e é isso que está sendo feito aqui”, ressalta o secretário Michele Caputo Neto.
“As ações no âmbito da Vigilância em Saúde nunca foram discutidas da maneira que estão sendo discutidas hoje. Este é o momento que a população tem para trazer os pontos críticos de seus municípios para que as políticas públicas da área possam ser adequadamente direcionadas”, disse o presidente do Conselho estadual de Saúde, Marcelo Hagebock.
Desde 2011, a Secretaria de Saúde desenvolve ações relacionadas à política de Vigilância em Saúde. Entre elas está a criação do programa Vigiasus, que repassa recursos do fundo estadual a todos os municípios do Paraná para que fortaleçam e qualifiquem as ações da área. Até o fim de 2017 terão sido repassados R$ 173 milhões por meio do programa.
A verba pode ser utilizada no combate à dengue e outras doenças, programas de vacinação, investigação e controle de doenças transmissíveis, vigilância sanitária, vigilância ambiental, saúde do trabalhador e ações de promoção da saúde. Dos R$ 149 milhões já repassados aos fundos municipais, 30% ainda estão em caixa a serem executados pelas prefeituras.

UTILIZAÇÃO – Uma das ações mais efetivadas pelas prefeituras com o recurso do Vigiasus é a compra de veículos utilizados para o transporte de cargas, como medicamentos e outros insumos de saúde, ações de fiscalização e trabalho de campo. Com o incentivo, 353 cidades adquiriram 579 veículos. Também foram comprados 6.570 equipamentos de refrigeração, informática, móveis e outros.
Ainda dentro do programa, houve 10.409 horas de capacitação profissional dos municípios com 1.006 participantes. Foram formados 603 Agentes de Combate a Endemias e 521 técnicos de Vigilância em Saúde. A Escola de Saúde Pública do Paraná ofereceu sete turmas de Especialização em Gestão da Vigilância em Saúde, onde foram formados 193 alunos.
“Os recursos materiais não são suficientes se não capacitamos a parte mais importante do trabalho: as pessoas. Por isso, incentivamos a qualificação dos nossos profissionais”, destaca o secretário da Saúde. Ele também fez um apelo aos participantes para que ajudem a tornar o Vigiasus uma política de Estado, garantindo que o bloco de financiamento seja mantido nas próximas gestões.

(foto:Venilton Kuchler/Sesa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta matéria???

As Mais Clicadas do Mês!

As Mais Recentes!

Destaque!

Subir