quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Eleição em mais uma cidade da região será definida nos tribunais

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) agendou para as 14h22 da tarde desta quinta-feira (16), o julgamento definitivo do recurso do prefeito de Cambará, José Salim Haggi Neto (PMDB), mais conhecido por Neto, que venceu a eleição municipal por uma diferença de mais de 5 mil votos, mas teve o registro de sua candidatura impugnado em Cambará, decisão ratificada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), posteriormente referendada no TSE, que há poucos dias da data da diplomação, reverteu a impugnação por decisão monocrática do ministro Henrique Neves da Silva, que acatou uma liminar interposta pelo peemedebista.

O julgamento coloca um final a batalha jurídica que se arrasta desde o início do segundo semestre de 2016, quando Haggi Neto apresentou seu registro no Cartório Eleitoral da 25ª Zona Eleitoral de Cambará. A oposição e o Ministério Público Eleitoral (MPE) apresentaram impugnação sob o argumento de que o então candidato, que foi prefeito da cidade por duas vezes, seria inelegível por conta de uma condenação judicial por decisão colegiada de segunda instância, no caso o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR).

A impugnação foi acatada pela Justiça Eleitoral local e Haggi Neto recorreu da decisão ao TRE, que novamente impôs derrota ao peemedebista, que, inconformado, buscou guarida em Brasília, no TSE.

Numa primeira avaliação do recurso o ministro Henrique Neves da Silva negou provimento, dando a impressão de que o sonho de voltar à cadeira do Executivo estava arquivado.

Mantendo a confiança de que reverteria a sentença desfavorável Neto apresentou um último recurso ao mesmo julgador, que acatou mandado de segurança, permitindo que o então prefeito eleito fosse diplomado e pudesse assumir a prefeitura no dia 1º de janeiro deste ano.

Agora as atenções se voltam para a tarde desta quinta-feira, quando o caso será julgado por um grupo de ministros do TSE. O prefeito tem se mostrado confiante com base na tese apresentada em última instância de que a sentença do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) que o tornara inelegível teria prescrito, fazendo com que o ministro mudasse seu voto. José Salim Haggi Neto , herdeiro político do grupo que por 20 anos teve o mando político de Cambará sob a liderança do falecido ex-prefeito e ex-deputado estadual Mohamad Ali Hamzé, o Mamede, recebeu mais de oito mil votos nas eleições de 2016, numa vitória esmagadora por uma diferença de mais de 5 mil votos contra seu adversário, o ex-prefeito João Mattar Olivato (PSC).

Tranquilidade

Em entrevista no final da tarde de ontem, o prefeito José Salim Haggi Neto mostrou absoluta serenidade, assinalando que está tranquilo com relação ao desfecho deste julgamento de quinta-feira. “O relator do processo, o ministro Henrique Neves da Silva, ao mudar seu voto, reconheceu a legalidade de minha candidatura, cuja vitória esmagadora, com 75% dos votos, demonstra o reconhecimento popular ao trabalho que realizei nas duas gestões à frente da prefeitura”, finalizou.

FONTE: Benedito Francisquini - Jornal Tribuna do Vale


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou desta matéria???

As Mais Clicadas do Mês!

As Mais Recentes!

Destaque!

Subir